A ESQUERDA DEVE ASSUMIR PAPEL ATIVO, NA ESFERA INSTITUCIONAL E NAS RUAS!

lula_metalúrgico

Foto: Lula discursando aos metalúrgicos contra a Ditadura.

 

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda

 

Não esperem que as ações golpistas da direita sejam realizadas por meio de grandes mobilizações populares. Por mais que a Globo tenha dado ênfase à retórica dos sem partidos em julho de 2013, jamais as mobilização estiveram sob hegemonia da direita, tanto é verdade que a saída do “Movimento Passe Livre” da organização resultou num esvaziamento das passeatas, e no crescimento da violência sem sentido dos “black-bockes”.

A rua não é um espaço onde os conservadores sintam conforto, especialmente com a presença de população organizada. Sem o apoio agressivo das forças da repressão, os golpistas neoliberais preferem a penumbra dos gabinetes e os acordos na calada da noite. Assim foi em 64, assim foi na votação na Câmara contra a Política Nacional de Participação Social e em todos os momentos da história.

As sombras e a hiper-realidade da mídia são os únicos espaços onde os agentes da direita conseguem se expressar de forma mais clara. Fica mais fácil esconder informações, manipular dados, criar heróis e vilões num jogo maniqueísta de poder.

É exatamente por isso que devemos nos precaver contra “golpes brancos”, ou o uso farsesco de instrumentos formais para direcionar ataques contra a organização democrática institucional. O Golpe de Estado praticado pela direita Paraguaia contra o Governo Democrático de Fernando Lugo, condenando pela diplomacia do Mercosul e da Unasul, ainda está muito próximo, e não pode ser esquecido.

A direita brasileira cada vez mais se aproxima da direita paraguaia, vejam a retórica de pessoas como Gilmar Mendes, Fernando Henrique Cardoso e Ferreira Goulart.

Quando uma comissão parlamentar de inquérito, formado por todos os partidos, resolve atacar apenas o sigilo bancário do tesoureiro de um único partido, quando PP, PMDB, PSDB e PSB aparecem em todas as listas de possível beneficiados não por esquemas de caixa dois de campanha, mas de corrupção, alguma coisa está muito errada.

Quando a Veja antecipa a publicação de uma edição, inclusive errado a data, existem indícios de que a mídia oligopolista pretende afastar ameaças aos grupos a quem está vinculada.

E aqui deixo bem claro o meu entendimento exarado em textos anteriores, de que pessoas suspeitas de corrupção devem ser investigadas, “doa a quem doer”, mas isto não pode ser realizado de forma seletiva, quando temos escândalos gritantes como o do Metrô de São Paulo, a Operação Satiagraha, e a Operação Castelos de Areia, que ainda continuam sem punição.

Outro ponto importante, e que fica evidente em todos os processos, é que não vejo nenhum fundamento na política de terra arrasada, pois isto apenas poderia redundar em efeitos negativos contra a economia.

Também não existe fundamento para utilizar as informações da Operação Lava Jato para reforçar a especulação financeira contra a Petrobrás. Reiterado interpretação anterior: “cada ataque à empresa estatal é, de fato, uma tentativa escandalosa de reduzir os custos de uma futura operação de venda da estatal”. Essa é a verdadeira bandeira da direita, e não a defesa do patrimônio público.

A Petrobrás é a fiadora de muitas obras e projetos desenvolvidos no Brasil em todos os campos, e fonte de geração de milhões de empregos. Mais do que isto, a Petrobrás é a gestora das obras e dos fundos do Pré-sal, fornecendo condições para a criação de importante capital social para o futuro do país, através do reforço das políticas de educação.

Portanto, também não é momento para condutas esquerdistas, daquelas que acreditam que o caos econômico permitirá uma transformação revolucionária. Qualquer intelectual de esquerda que tenha lido a obra de Antônio Gramsci sabe a importância da conquista hegemonia, e da necessidade reforçar a atuação política no campo da sociedade civil, por meios de sindicatos, movimentos sociais e ONGs.

Logo, o atual momento político não pode ser lido de forma ingênua, nem permite espaço para condutas mimadas e ressentidas de militantes e de políticos. É importante que o Partido dos Trabalhadores assuma uma posição de protagonista no enfrentamento dos arroubos golpistas da direita, e na efetiva defesa da Democracia, inclusive através do reforço das lutas populares.

Os resultados das eleições de outubro demonstram que a sociedade não aceita mais os desmandos dos meios de comunicação oligopolistas, nem quer um retrocesso ao neoliberalismo dos anos 90. Quer, isto sim, e de forma hegemônica, a manutenção de governos comprometidos com políticas sociais, com a radicação da democracia participativa, e com a defesa intransigente de direitos fundamentais.

Nunca tivemos um país dividido, como pregam os asseclas do golpismo, mas o confronto eleitoral de projetos distintos de desenvolvimento e de diferentes formas de forma vínculos com a sociedade. A única divisão concreta é entre os reacionários, comandados pela mídia e pelo PSDB, e as forças progressistas, que possuem no PT a sua maior expressão.

Retornando à parte inicial do artigo, a rua não é um espaço de conforto para a direita. Quem ataca a Política Nacional de Participação Social tem medo de mobilização efetiva da sociedade e, mais do que isto, de mobilização consciente e crítica, prefere ruas esvaziadas, ou ocupadas por meia dúzia de histéricos direitistas com comportamento histriônico.

É por isso que além da luta institucional, seja no âmbito parlamentar, seja por meio judicial, seja na própria Presidência da República, devemos reforçar a mobilização popular de sindicatos, de movimentos sociais, e das organizações efetivamente comprometidas com a Democracia contra qualquer forma de golpismo.  A defesa da participação social, da Reforma Política, da sustentabilidade, e do controle social da mídia, são bandeiras que devem tomar conta das ruas.

Precisamos colocar a defesa da Democracia no centro do debate político. Esta é uma tarefa fundamental da esquerda. Este é um imperativo ao Partido dos Trabalhadores.

 

 

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s