Eduardo Galeano. A morte de um profeta ateu

A América Latina perdeu, esta semana, um dos seus poetas, uma das suas vozes libertárias…

rsurgente

galeano

Jacques Távora Alfonsin

Morreu Eduardo Galeano. A homenagem prestada aos mortos como Galeano sempre fica tateando palavras as mais adequadas para recordar uma vida querida, que as/os amigas/os não gostariam tivesse fim. Galeano era ateu e, com certeza, após a sua curta e aborrecida experiência infantil, como coroinha, quando abandonou a religião católica, como ele mesmo conta, pode estar comprovando agora se tinha ou não razão sobre sua falta de fé em Deus.

Escritor, perseguido político em mais de um país, durante as ditaduras latino-americanas do século passado, a sua pena não tinha pena do capital nem dos países que abriam e ainda abrem as veias da América Latina, cúmplice daqueles regimes de violência. Frequentador assíduo da Feira do Livro e do Forum Social Mundial em Porto Alegre, vizinha da sua Montevideo, sabia dosar literatura com crítica política nos dois eventos, em textos muito vivos ora de humor, ora de…

Ver o post original 700 mais palavras

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s