O PALHAÇO E A ROSA

palhaco-2

 

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

 

Certa noite, cansado do picadeiro,

Sem o brilho das luzes que lhe conferiam emoção,

Um palhaço encontrou uma rosa!

Parou, sentou ao seu lado, e começou a apreciar a beleza da flor!

 

Passado algum tempo observou que a mesma sofria com o tempo,

Suas pétalas começavam a demonstrar fragilidade,

E refletindo sobre a sua vida pensou:

Como ele, um humilde palhaço, escondido atrás a solidão de sua máscara poderia ajudar algo tão belo, tão frágil e, ao mesmo tempo, tão poderoso?

 

Levantou a cabeça, e observou a presença baldes ao longo das lonas,

Pegou um copo abandonado, limpou a peça e encheu d’água…

Voltou à rosa e regou seu entorno, e pediu à flor que continuasse a iluminar o ambiente.

 

Consciente de que sua tarefa tinha limites, frente à vida efêmera das pétalas, novamente levantou.

Sentiu-se seguro, por ter contribuído, mesmo que pouco, para manter a beleza do mundo,

E como todo palhaço, voltou ao silêncio, caminhando de volta ao picadeiro escuro…

 

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s