O CANTO DA LIBERDADE

outono

 

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

 

Canto por ser livre das amarras do preconceito e ódio.

A minha voz ecoa além das fronteiras desenhadas

e retumba diante daqueles que oprimem os sem nome,

dando vazão a esperanças, sonhos e utopias.

 

Canto porque minha alma tem uma força insurgente.

Carrego bandeiras esquecidas de ideais solidários,

enfrento dragões violentos que silenciam a verdade,

e defendo aqueles que sofrem com a dor do abandono.

 

Canto porque meu nome é sinônimo de igualdade.

Levo junto comigo os sonhos desperdiçados,

alimento a quem tem fome de justiça e amizade.

 

Eu canto porque eu amo, porque vivo intensamente.

Tenho a força das ondas do mar em momentos de fúria,

sou filho das luzes, das estrelas e da revolução…

 

 

 

Anúncios

Um comentário

  1. Muito forte o poema amigo! Parabéns!

    ” … Eu canto porque eu amo, porque vivo intensamente.

    Tenho a força das ondas do mar em momentos de fúria,

    sou filho das luzes, das estrelas e da revolução” …

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s