POEMA

unnamed-11

Foto: Cerejeiras no Japão

 

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda

Posso perder-me, esquecer o meu riso,

entregar-me ao vício, a desejos obscenos,

esquecer o sentido da vida,

mas não consigo deixar de te amar.

Amar-te é encontrar sentido nem um universo sem luz,

caminhar pela praia e sentir a brisa acariciar a minha face

como se estivesse sentindo um toque teu.

Amar-te é encontrar energia nas folhas secas,

renascer de uma vida perdida e sem destino,

entregar meu corpo e minha alma ao teu encontro.

Amar-te é ver as velas rompendo as tempestades,

e tocar o céu em suave movimento

como no bailar incessante das aves pelo céu.

Amar-te é querer-te sem cobranças,

apenas sentir a paz pela presença do teu olhar

sonhar com a tua voz gritando o meu nome,

mesmo que seja apenas para lembrar que esqueci de alguma coisa.

Amar-te é encontrar um verso em cada instante,

por mais efêmero que seja o momento

e mais curto que seja o tempo ao teu lado.

Quando te amo, sou eterno,

como eterno é o caminho da luz,

esta mesma luz que resplandece em teu sorriso.

Encontro força para vencer até as mais duras provas.

Justificativas para o amor, não encontro!

Só sei te amar, porque te amo inteira e incondicionalmente…

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s