PEQUENO SONETO DE AMOR

Foto: Tristão e Isolda, de Salvador Dali, 1944.

Ah, como desejo amanhecer e beijar tua boca,
sentir a maciez dos teus lábios,
inebriar-me com teu cheiro,
mergulhar profundamente nos acordes rítmicos da tua voz…

Meu desejo por ti não é puro,
não sou puro, não conheço o significado desta palavra.
É um desejo profano, como é profano o amor em sua inteireza.
A busca pelo sentido pleno da vida que se expressa pelo corpo.

É por isto que, mesmo eloquente, não sei me expressar por palavras.
Sou apenas gestos e ações. Falo com os olhos, com o toque, com a boca…
o meu corpo é a minha gramática e ele clama pela tua presença.

Sou assim, um ser incompleto, preso na minha condição mundana.
Não busco ser sacralizado, meus sonhos são modestos, mas talvez impossíveis.
Eu desejo, tão somente, amanhecer com a minha pele colada na tua…

(Sandro Ari Andrade de Miranda, 12/12/2020).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s